sábado, 28 de abril de 2012

1º de Maio

Atenção Clientes e Amigos,
Nesse fim-de-semana (sábado), segunda-feira e na terça-feira, feriado de 1º de Maio, não estaremos abertos para o almoço. 
Abriremos novamente dia 02 de Maio.
Gratos pela compreensão...

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Menu 27.04

Excepcionalmente, hoje o Purê de Abóbora Cabotiá será substituido por Purê de Beterrabas!

Venha almoçar conosco ou peça nosso delivery! 2362-9695


quinta-feira, 26 de abril de 2012

Menu 26.04

Mais saudável com menos óleo


APRENDENDO A PREPARAR ALIMENTOS MAIS SAUDÁVEIS COM MENOS ÓLEO

Óleos e gorduras fazem parte da culinária brasileira, por herança de nossos antepassados. O azeite- de- dendê da cozinha africana, a banha de porco, as frituras, os refogados, o azeite  de oliva das cozinhas portuguesa, italiana, espanhola, são exemplos que muitas vezes nos dão "água na boca" só de lembrar...
 Gorduras dão sabor aos alimentos, realmente. E são "fortes", mesmo! São ENERGÉTICAS, fornecem muitas calorias ao nosso organismo. Por essa razão são "engordantes", quando usadas em excesso, principalmente quando a atividade física do indivíduo é do tipo sedentária ou leve ( o que corresponde à maioria das pessoas, hoje em dia).
Além de contribuírem para o aumento de peso, as gorduras põem em risco a saúde, quando em excesso, por levarem ao aumento do colesterol e, consequentemente à aterosclerose.
O diabético, que pela sua própria condição é mais vulnerável a problemas vasculares deve, portanto, evitar os excessos de gordura na alimentação. É bom esclarecer, porém, que nem todas as gorduras são igualmente "perigosas". As mais prejudiciais são as de origem animal: banha de porco, toucinho, bacon, manteiga, creme de leite, maionese; são as chamadas "gorduras saturadas", ricas em colesterol ou que aumentam a sua produção pelo nosso organismo.
Já as gorduras vegetais, como os óleos de milho, girassol, arroz e soja e as margarinas cremosas, não contém colesterol. Além disso, essas gorduras são "poliinsaturadas", o que contribui para evitar a aterosclerose. O azeite de oliva e as gorduras dos peixes, por sua vez, são "monoinsaturados" e até ajudam a diminuir o colesterol.
Entre as gorduras, como se vê, temos "amigos" e "inimigos". Os inimigos, devemos evitar ao máximo. Dosamigos podemos usar, sem abusar.G
GORDURAS QUE DEVEM SER EVITADAS
  • BANHA DE PORCO
  • TOUCINHO
  • TORRESMO
  • BACON
  • MANTEIGA
  • CREME DE LEITE
  • MARGARINA DURA
  • GORDURA DE COCO
  • MAIONESE
  • GEMA DE OVO
    GORDURAS QUE PODEM  SER UTILIZADAS SEM EXCESSO
  • ÓLEO DE MILHO
  • ÓLEO DE GIRASOL
  • ÓLEO DE ARROZ
  • ÓLEO DE SOJA
  • MARGARINA CREMOSA
  • AZEITE DE OLIVA
COMO PREPARAR ALIMENTOS COM  MENOS ÓLEO OU GORDURA                  
 Evite as frituras e os alimentos gordurosos.Cozinhe o arroz sem refogar, com água, cebola, alho socado e sal (se sua pressão arterial não estiver alta). Se você não for obeso, pode acrescentar 1 colher das de café de óleo por pessoa, à água do preparo.
Não use óleo ou outra gordura qualquer no feijão. Cozinhe-o com alho, cebola, cheiro verde, louro. Se você não gostar de sentir os temperos em pedaços, pique-os miudinho ou bata-os no liquidificador, antes de juntar ao feijão.
Para variar, experimente cozinhar  dentro do feijão hortaliças como chuchu, abóbora madura, abobrinha, folhas de repolho, chocória ou couve. Dão sabor e aumentam o valor nutritivo.       
Experimente "refogar" cebola e alho picadinho em um pouco de água, até que fiquem transparentes e macios. Se você deixar a água secar eles irão ficar corados. Junte, então, tomates batidos, orégano ou manjerona e água e terá um molho caprichado e "magrinho".
Você poderá "refogar" os temperos na água em lugar de óleo ou gordura também em outras receitas, como as de carnes cozidas ou ensopados com legumes.
Cozinhe hortaliças como cenoura, chuchu, abobrinha, vagem, abóbora madura, cebola e outras no vapore tempere-as, ainda quentes, com vinagre ou limão, alho, orégano, salsinha, hortelã picadinha  ou outras ervas aromáticas Regue com um pouquinho de azeite.
Para cozinhar no vapor você pode utilizar uma peneira de alumínio colocada sobre uma panlela com água. Coloque os alimentos sobre a peneira e tampe-a enquanto a água ferver na panela. Além de saudáveis e nutritivas, as hortaliças ficam mais saborosas, assim preparadas.
Cozinhe verduras de folha como couve, chicoria, espinafre, folhas de rabanete ou de nabo, picadas ou rasgadas, direto na panela, com um pouquinho só de água e temperos. Abafe a panela e deixe em fogo baixo até cozinhar. Acrescente um fio de óleo quando a verdura estiver cozida. Você também pode preparar legumes dessa maneira (diretos na panela). Se desejar, pode acrescentar um pouco de   margarina cremosa no final do preparo, no lugar do óleo (1 colher das de café, por pessoa).
BOM APETITE

DENISE GIÁCOMO DA MOTTA
   NUTRICIONISTA
         CRN 0350

segunda-feira, 16 de abril de 2012

CARNE VERMELHA X CARNE BRANCA


São muitas as contestações a respeito da ingestão de carne vermelha, com restrições principalmente voltadas ao seu conteúdo de gordura saturada e colesterol. No entanto, trata-se de um alimento com grande quantidade e variedade de nutrientes fundamentais para o crescimento e desenvolvimento.
A carne vermelha é o alimento que contém a maior quantidade de ferro, sendo, por isso, muito importante no combate à anemia, principalmente nos grupos de risco, nos quais se incluem crianças, mulheres em estado de gestação e idosos. Além disso, é fundamental na formação do sangue e de algumas enzimas do sistema respiratório. Proteínas de alto valor biológico, essenciais para o crescimento de músculos, órgãos e tecidos em geral, têm como principal fonte a carne vermelha. O zinco, também encontrado em boa quantidade na carne de gado, é componente importantíssimo de muitas reações enzimáticas e participa do crescimento e funcionamento do sistema imunológico.
Os possíveis malefícios da carne vermelha estão ligados à ingestão excessiva e predominantemente realizada com cortes mais gordos. Estes são ricos em gorduras saturadas e colesterol, porém, se forem consumidos com moderação e principalmente em equilíbrio com demais tipos de alimentos, por meio de uma alimentação balanceada, não influenciarão para uma vida saudável. A ingestão deve ser feita preferencialmente com cortes mais magros (filé mignon, carne moída, lagarto, patinho, etc.), deixando a picanha e carnes mais gordurosas para ocasiões esporádicas.
Alimentos fonte de carne branca, como frango e peixes, são conhecidos por apresentarem alguns benefícios em relação ao consumo de carne vermelha, dentre eles a menor quantidade de lipídeos, gorduras saturadas e colesterol em sua composição.
Em relação às proteínas, apesar de conterem quantidade praticamente semelhante à carne vermelha, possuem valor biológico inferior à carne vermelha. Também são consideradas boas fontes de ferro, de minerais, como fósforo e potássio, e de vitaminas, como niacina e ácido pantotênico.
O conceito atual da população sobre a carne suína remete-se à lembrança da carne de porco produzida em condições de pouca higiene, contendo alto teor de gorduras e colesterol, que poderiam ser grandes aliados aos males da modernidade. Atualmente, a carne suína, diferente da carne de porco, é resultado da produção tecnológica da indústria alimentícia, apresentando reduzido teor de gorduras, calorias e colesterol em relação há 25 anos. Cortes que privilegiam a camada adiposa do animal, como o toucinho, permanecem com maior teor de gordura e colesterol que a carne bovina.
A carne suína é fonte de proteínas de alto valor biológico, apresenta boas quantidades de aminoácidos, como leucina, lisina e valina, e é de alta digestibilidade. É a principal fonte de vitamina B1, boa fonte de niacina e riboflavina, além de minerais como ferro e selênio.
Assim com a carne vermelha, sua composição e valor nutricional podem ser alterados de acordo com o tipo de corte e modo de preparo. O consumo também deve ser feito com moderação e alternando os demais tipos de carne (carne bovina e peixe).
Dentro de uma dieta balanceada, tente priorizar as proteínas de alto valor biológico nas principais refeições, tendo sempre cuidado com os exageros, uma vez que, em excesso, podem causar malefícios citados anteriormente.
By multiesportes on 19 de abril de 2010
Fonte: http://www.multiesportes.com.br/?p=388

Menu 16.04


A Granel Cozinha Saudável


quinta-feira, 12 de abril de 2012

Cebola Roxa e seus benefícios


cebolaroxa Cebola Roxa – Porque Consumi la
Um dos itens que não podem faltar na hora de temperar alimentos é a cebola. Mas, na hora de escolher, uma excelente opção é a cebola –roxa, pois é rica em flavonóides e antioxidantes.
Além disso, possui quantidades importantes de vitamina do complexo B, que atuam na formação de anticorpos, resistência á infecções, redução de colesterol ruim e no metabolismo de proteínas no corpo.
Há ainda como benefícios a vitamina C, potente antioxidante, e a vitamina A que combateradicais livres, aumenta a imunidade do organismo e diminui a gordura corporal.
O melhor é consumir o vegetal cru para preservar seus componentes!
Ao preparar os alimentos, pense duas vezes, use a cebola-roxa!

Menu 12.04


terça-feira, 3 de abril de 2012

Páscoa!!!


HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DURANTE A
SEMANA SANTA

PREZADOS CLIENTES:

INFORMAMOS QUE NÃO ABRIREMOS

SEXTA-FEIRA – PAIXÃO (06/04)

SÁBADO – ALELUIA (07/04)

VOLTAMOS A FUNCIONAR A PARTIR
DO DIA 09/04

GRATOS PELA COMPREENSÃO

Menu 03.04